Saiba quanto gasta para registrar um imóvel

Saiba quanto gasta para registrar um imóvel

Quanto se gasta no registro do imóvel?

Comprar um imóvel próprio requer um tempo para o planejamento. Pesquisar, procurar, conhecer, comparar, investir… tudo isso faz parte desse processo para ter um imóvel para chamar de seu.

Depois que você finalmente escolheu o seu imóvel dos sonhos, vem a parte ”chata” porém necessária, que é a parte da papelada. Toda essa documentação também requer um tempo de espera (cerca de 30 a 40 dias se tudo fluir normalmente) e alguns investimentos durante o processos

Para atualizar a documentação de um imóvel requer alguns gastos que constam na lei, pagar alguns impostos, despachante (se preferir) e etc. Isso tudo também faz parte do processo de compra de um imóvel.

Pensando nisso, criamos um conteúdo que irá te ajudar a entender melhor o que deve pagar e quanto deve pagar para registar um imóvel. Mas lembrem-se, o valor varia de imóvel para imóvel. Acompanhem:

O que precisa ser feito?

Quando você compra um imóvel como uma casa, uma terreno ou outra propriedade qualquer, basicamente duas coisas precisam ser feitas: a escritura do imóvel e o registro do imóvel.

A primeira é feita no cartório de notas e um documento será lavrado contendo as informações do imóvel, dos antigos proprietários e dos novos proprietários.

Ele tem uma linguagem jurídica, então se achar melhor procure um advogado ou algum especialista nesse assunto para te ajudar. Além disso, é necessário apresentar todas as documentações, tanto do imóvel, dos vendedores e dos compradores.

Notou que estou colocando vendedor e comprador no plural? Pois é! Em muitos casos há vários donos (as), como no caso de herança, por exemplo.

A segunda é feita posterior, ou seja, uma vez que a escritura esteja pronta é necessário registrá-la e isto é feito em outro cartório, desta vez no registro de imóveis.

É este registro que fará com que a sua escritura tenha de fato valor jurídico. Portanto, as duas coisas precisam ser feitas corretamente nos respectivos locais. 

Valor venal X Valor real

Antes de fazer a escritura é levantado junto a prefeitura o chamado valor venal do imóvel. A prefeitura utiliza alguns critérios objetivos como a área da edificação, o valor unitário padrão da região, entre outros dados para determinar qual é o valor venal de cada imóvel.

Em contrapartida existe o valor real que é aquele que você negociou. Por exemplo: Eu comprei o imóvel (um terreno) pelo valor de R$ 150.000,00 e o valor venal levantado na prefeitura era de aproximadamente R$ 40.000,00.

Ficou assustado com a diferença? Realmente, é de assustar!

Com isso, a escritura deveria constar um desses valores, ou seja, ou colocaríamos o valor venal passado pela prefeitura ou o valor real que de fato havíamos negociado.

Outras despesas

Além disso, existem as taxas de impostos, do cartórios, valores de intermediação (dependendo de como escolha pagar), ITBI, imposto de renda e etc.

Falando assim, pode parecer desanimador a compra de um imóvel, mas não é! Pense que faz parte do processo da realização do seu sonho de ter uma casa própria para morar.

Conheça a Utilbrás e realize seu sonho aqui conosco!

Saiba mais em:

Saiba como funciona o financiamento imobiliário

Principais dúvidas na hora de comprar um imóvel

Fonte: Marketing & Publicidade